Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2012

Um flashmob no metrô de Copenhague

A novela do Terminal Hidroviário de Belém

Hoje completa um mês que o Ministério Público Federal do Pará encaminhou, ao Governo do Estado, uma notificação, recomendando que o Terminal Hidroviário de Belém seja colocado em funcionamento em, no máximo, 60 dias. A notificação também demandava, à Secretaria de Estado de Transportes (Setran) e à Secretaria de Estado de Obras Públicas (Seop), que num prazo de 15 dias respondessem ao recomendado, informando que medidas tomariam para que o terminal entrasse em operação. Segue no Belém400.

O debate entre a Europa restritiva de Merkel e a Europa progressista de Hollande em um foto

A questão que toda a Europa se faz: A França socialista de François Hollande vai ceder às pressões da Alemanha?

As exigências das 12 terras indígenas para liberar Belo Monte

Antes de tudo, o texto abaixo mostra como a sociedade nacional brasileira ainda não consegue compreender seus povos indígenas. Do Valor Econômico: Amarok, Hilux, L 200, F 4.000, caminhões, carros de passeio, ônibus, motos, barcos, contas gordas no banco e mais 1,3 mil cabeças de gado – de preferência, 500 delas da raça Nelore. O Valor teve acesso às listas de pedidos que as tribos indígenas apresentaram esta semana à diretoria do consórcio Norte Energia para liberar a construção da hidrelétrica de Belo Monte. As reivindicações dão uma boa dimensão do problema que o governo e os empreendedores da usina terão de administrar para convencer os índios que, agora, está na hora de passar a cuidar de suas roças de milho e mandioca, da pesca, das crenças e do artesanato. O que os índios das 12 terras indígenas localizadas na área de influência de Belo Monte, no Xingu, apresentaram à Norte Energia é uma relação de compras que tem mais de 500 anos de distância daquilo que os empresários e

As metas do Plano Nacional de Cultura para 2020

Com o objetivo de traduzir as 53 metas do Plano Nacional de Cultura (PNC) para a sociedade brasileira, o Ministério da Cultura (MinC), por meio da Secretaria de Políticas Culturais (SPC), produziu uma publicação sobre o tema de forma didática e lúdica. Neste trabalho, as metas são apresentadas com textos sintéticos e imagens que contribuem para sua compreensão. Aprovadas em dezembro do ano passado, as metas foram construídas de forma coletiva, envolvendo a sociedade civil e todas as unidades do Sistema MinC. O lançamento da publicação representa um importante passo na consolidação do Plano Nacional de Cultura. O material será disponibilizado em formato impresso e também em formato digital, para  download  no site do MinC. Envio de exemplares Para que a publicação atinja seus objetivos, serão enviados exemplares a todos os estados e municípios do país, aos conselhos de cultura, universidades, pontões de cultura e aos parlamentares das comissões e frentes de cultura do Senado

Câmara aprova PEC da Cultura

Por 326 votos a 1, o Plenário da Câmara aprovou nesta terça-feira (26), em segundo turno, a Proposta de Emenda à Constituição 416/2005, que institui o Sistema Nacional de Cultura (SNC), com suas diretrizes e princípios. Apresentada em junho de 2005 pelo deputado Paulo Pimenta, que ainda está no exercício do mandato, a matéria já havia sido  aprovada em 30 de maio em primeiro turno , e agora segue para o Senado, onde repete o procedimento. Leia outros destaques de hoje do Congresso em Foco A proposta foi aprovada sob a forma de substitutivo elaborado pelo deputado Paulo Rubem Santiago (PDT-PE), no âmbito da comissão especial instalada para deliberar sobre o tema. Mas correu o risco de sequer ter sido levada à discussão: em protesto contra o cancelamento, por parte da ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, de reunião com partidos oposicionistas na semana da votação, PSDB, DEM e PR anunciaram obstrução de plenário, só retirada depois de negociação operada pelo preside

A importância das cidades na geografia amazônica

Segue em belem400 Um blog para falar da Belém real e para pensar nos 400 anos que irá completar em 2016. Mas não só: para também falar das beléns imaginárias que nos habitam, das beléns do passado e de outras cidades e modelos urbanos.

Deu no Valor Econômico: Governo do Pará paga as dívidas da Celpa

Do Valor Econômico: Enquanto a Centrais Elétricas do Pará (Celpa) está em recuperação judicial, o que impede os credores de receberem os R$ 2 bilhões que a companhia deve, o governo do Pará está pagando uma dívida da elétrica com a União. O governo federal, por meio do Banco do Brasil, debitou em abril R$ 2,6 milhões da conta do Estado do Pará.  Os recursos são oriundos do Fundo de Participação dos Estados (FPE). O valor é proporcional a uma parcela da dívida da Celpa com a União, da qual o governo paraense é avalista. O pagamento é relativo a um contrato de confissão e consolidação de dívida assinado em 1997 (seis meses antes da privatização da Celpa) entre a Controladoria Geral da União (CGU) e a empresa.  O Estado do Pará, representado na época pelo ex-governador Almir Gabriel e pelo ex-secretário de Fazenda Paulo de Tarso, aparece como avalista do contrato, de R$ 44 milhões. Os recursos, viabilizados pelo Banco do Brasil, são provenientes do Clube de Paris. Com o pedido

Geopolítica da comunicação na Amazônia

Hoje saiu o número 37 da revista Comunicação & Sociedade, editada pela Universidade Metodista de São Paulo. A edição traz meu artigo "Geopolítica da comunicação na Amazônia". Criada em 1979, a revista é a publicação mais antiga do gênero no Brasil, desempenhando um papel essencial na consolidação do campo brasileiro das Ciências da Comunicação. Ela possui qualificação B2, segundo avaliação Qualis Periódicos, e está indexada nas seguintes bases: Clase; DOAJ; EBSCO; Latindex; Revcom; Ulrich´s Periodicals Directory (ProQuest) e Univerciência. Segue o resumo do artigo: Geopolítica da comunicação na Amazônia Fábio Fonseca de Castro Resumo: O artigo elabora um panorama dos sistemas de comunicação midiática na região Norte do Brasil e de suas estratégias de atuação e reprodução social. Procura-se uma abordagem descritiva e comparativa desses sistemas, com a intensão de iniciar uma interpretação dos processos sociais que caracterizariam a cena midiática regiona

O Canal Saint-Martin, em Paris: Um exemplo de recuperação de uma área urbana degradada.

  O Canal Saint-Martin é, hoje, um dos melhores lugares de Paris. Em geral não é considerado como um dos grandes pontos turísticos da cidade e nem está na maioria dos guias, mas, podem acreditar, é um ponto que vale a visita. Esquecido pelos turistas, é um lugar de convívio dos habitantes da cidade, que afluem, nos finais de semana, para passear, conversar, andar de bicicleta, ler e, simplesmente, estar.  Mas  nem sempre foi assim. Nos anos 1970 era apenas um canal, como os de Belém, para onde confluiam centenas de esgotos. Uma vala fétida, quase sem água. Parte dele estava coberto por ruas. Outra parte, escondido por muros e cercas. Segue em belem400 Um blog para falar da Belém real e para pensar nos 400 anos que irá completar em 2016. Mas não só: para também falar das beléns imaginárias que nos habitam, das beléns do passado e de outras cidades e modelos urbanos.

Nova York do futuro, pensada no passado

Em 1908, Moses King publicou o livro King’s Dream of New York, com gravuras que representavam como essa cidade poderia ser no futuro. Com ilustrações de Harry Pettit, o livro retratava uma cidade com vários andares superpostos de avenidas, um espaço aéreo repleto de balões a gás e passarelas para pedestres. Segue em belem400 Um blog para falar da Belém real e para pensar nos 400 anos que irá completar em 2016. Mas não só: para também falar das beléns imaginárias que nos habitam, das beléns do passado e de outras cidades e modelos urbanos.

Capital gastronômico

Brincando com a metodologia de P. Bourdieu...

Os jagunços de Daniel Dantas no Pará

Do site do  MST : Os sem terra que faziam um ato com mais de 1000 famílias em frente à sede da fazenda Cedro, em Marabá, no sudeste do Pará, foram atacados por capangas da propriedade do banqueiro Daniel Dantas, na manhã desta quinta-feira (21/6). Foram feridos com gravidade pelo menos 16 trabalhadores rurais. A área faz parte do complexo de 56 fazendas da Agroecuária Santa Bárbara, que concentra 600 mil hectares de terras no Sul do Pará. Os sem terra faziam um protesto contra o desmatamento, o uso intensivo de agrotóxico e grilagem da terras públicas, no contexto das discussões promovidas com a realização da Rio+20, que acontece nesta semana no Brasil. Depois do ataque dos pistoleiros, as famílias ocuparam a rodovia para denunciar a violência do latifúndio. "Fomos recebido com muitos tiros por parte da escolta armada. Há muitos feridos, inclusive crianças de colo, que no foram levados para o hospital de Eldorado do Carajás, a 50 Km do local", denuncia Charles Trocat

Indicadores sociais mostram o avanço da Venezuela com

Não sou chavista e não suporto populismo de nenhuma espécie. O socialismo no qual acredito é democrático e centrado na sociedade civil. Porém, é claro que reconheço, em primeiro lugar,  a cobertura enviesada que a grande mídia dá à Venezuela de Chaves e, em segundo lugar, os avanços que o regime de Cháves permitiu à sociedade venezuelana. No no blog Diário do Centro do Mundo , de  Paulo Nogueira,  encontrei dados sobre a Venezuela de Chaves produzidos  pelo instituto americano CEPR, baseado em Washington. Os dados, contidos no relatório “A Economia Venezuelana nos anos de Chávez”, desconstroem a imagem negativa da Venezuela perpassada pela mídia com dados como estes: 1) Em 1998, quando Chávez assumiu o poder, havia 1628 médicos para uma população de 23,4 milhões. Dez anos mais tarde, eram quase 20 000 médicos para uma população de 27 milhões. 2) Os gastos sociais subiram de 8,2% do PIB, em 1998, para quase 14%. “Se comparamos a taxa de pobreza pré-Chávez (43,9%) com a re

Mundo pode poupar US$ 100 bi com "luz verde"

Via Valor Econômico: Um relatório divulgado ontem pelo braço ambiental das Nações Unidas mostra que não é preciso um grande empenho político, como o visto essa semana durante a Rio+20, para obter reduções significativas no consumo de energia. A iluminação eficiente das cidades seria capaz de gerar uma economia de US$ 110 bilhões por ano aos bolsos públicos e reduzir em 5% o consumo energético mundial. Basta trocar as lâmpadas. Somente no Brasil, a economia com energia chegaria a US$ 3 bilhões, aponta o estudo realizado pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma) em parceria com a Agência Internacional de Energia (AIE). Na Índia, a redução no consumo de energia ultrapassaria os 35%, com uma economia de US$ 2 bilhões, caso as lâmpadas incandescentes ainda usadas no país fossem substituídas por modelos eficientes. "Uma das formas de contribuir para a redução global de emissões de carbono é retirar as tecnologias ineficientes", disse Achim Steiner, d

O vazio da Rio+20 precisa ser preenchido pela sociedade civil

O resultado do texto da Rio+20 é um vazio declaratório que terá que ser preenchido pela sociedade civil e pelas empresas. A avaliação é da equatoriana Yolanda Kakabdse, presidente mundial de uma das mais conhecidas ONGs ambientalistas do mundo, o WWF. Yolanda coordenou a participação da sociedade civil em 1992, para a Rio92. Foi presidente e membro do conselho de entidades ambientalistas importantes e ex-ministra de meio ambiente do Equador. Vê as diferenças entre aquela conferência e esta, e o que não aconteceu. Ela diz que os negociadores poderiam ter ido mais fundo no texto final da Rio+20 e que 24 horas antes de o documento ser fechado, havia verbos de ação. "Agora é um texto declaratório." A seguir, trechos da entrevista ao jornal Valor Econômico. Valor: Qual a sua avaliação dos resultados da Rio+20? Yolanda Kakabdse: Os resultados me parecem pobres. Não porque todos os conceitos importantes não estejam no documento final. Estão todos lá, mas não há nenhum chamad

Dados do IBGE e da FAO sobre desmatamento

Segundo o IBGE, o desmatamento da Amazônia caiu progressivamente, após o pico de 2004, de 27 mil km quadrados. No ano passado foi de 6 mil km quadrados. O número de queimadas também teve redução no mesmo período. Paralelamente, cresceram as áreas de preservação ambiental e a poluição do ar avançou de modo mais lento. O número de unidades de conservação passou de 157 para 750 entre 1992 e 2011 – quando somaram 750 mil km quadrados, ao todo. Dos 62 indicadores analisados nas áreas ambiental, social e econômica, houve avanço em quase metade deles. Uma pesquisa das Nações Unidas também indica a redução dos índices de desmatamento, apesar deles seguirem “alarmantes” em alguns países. A mesma pesquisa, feita em 2010 pela Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) indica a distribuição de florestas pelo mundo. O Brasil chegou a 2011, Ano Internacional das Florestas, como o segundo país do mundo, em termos absolutos, com mais áreas de florestas. São 519,5 mi

A ordem tucana e os pistoleiros de Daniel Dantas

É, de fato, o Pará vai re-adentrando, aos poucos, na ordem tucana... Na ordem tucana da indiferença quanto aos conflitos rurais. P istoleiros da fazenda Cedro, do grupo Santa Bárbara, de Daniel Dantas, desfizeram à bala manifestação do MST que na manhã de ontem, faziam protesto em frente à sede da propriedade. Até criança de colo saiu baleada. A intenção das centenas de famílias envolvidas na ação era apenas denunciar o uso intensivo de agrotóxico e a grilagem de terra publica que caracteriza a ação do grupo no sudeste do Pará. Há muitos feridos, que foram levados para o hospital de Eldorado do Carajás, a 50 km do local. O Governo Jatene enviou a polícia civil, a polícia militar, mas isso aparenta representar, mormente, a garantia dos direitos do mais forte. A ordem tucana... No blog Flanar, Marise Morbach comenta " Saibam que a vida poderia ser muito pior se não houvesse um movimento de sem terras aqui no Pará. Ah, nós aqui nos grandes centros urbanos não temos ide

Governo volta a contratar jatinho dos Maioranas.

Aos poucos, o Pará vai readentrando na "ordem tucana". Obras importantes abandonas (NavegaPará, Bolsa Trabalho, Terminal Hidroviário, PAC-Pará de saneamento e urbanização), outros programas com o nome, simplesmente, modificado (as Oficinas de Comunicação para a Cidadania viraram Projeto "Bizu", outros programas adiados ou prejudicados (Ação Metrópole). Agora, o jatinho da família Maiorana é recontratado para atender o Governador Jatene, quando ele quiser viajar. A notícia é o Diário do Pará. Reproduzo-a:  A empresa Orm Air Táxi Aéreo Ltda, pertencente ao empresário Rômulo Maiorana Junior, ganhou um novo contrato para prestar serviços de táxi aéreo ao governo Estado. Desta vez, o contrato, no valor de R$ 2,6 milhões, tem vigência de maio deste ano a 14 de maio de 2013. O contrato eletronico 005/2012, referente ao processo 175/2012, homologado pelo chefe da Casa Militar da governadoria, coronel Fernando Noura, estabelece contratação de empresa para “prestação d

Colóquio e exposição de Lúcia Gomes

O Colóquio é hoje, no ICA (Pça da República),  às 18h. Estarei participando, com uma conferência sobre "Fenomenologia da obra de arte em Lúcia Gomes". A exposição abre amanhã, às 19h, no MHEP:

Notas sobre a Rio+20

Nenhuma surpresa na Rio+20. Mas alguém espera o contrário?  Em síntese:  vitória da burocracia e derrota do bom senso. Na busca por consenso, foi preciso ceder até à exigência do Vaticano para retirar do texto menção a direitos reprodutivos. Até ao Vaticano! A ministra dinamarquesa do Meio Ambiente, Ida Auken, traduz bem o ponto de vista da diplomacia internacional: - Este não é o melhor acordo do mundo, mas é um acordo para um mundo melhor. Belas frases que fazem as gentes rodopiarem em torno do próprio eixo. Tudo bem que há uma decisão de  fortalecer o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma) e outra para criar o Fórum do Desenvolvimento Sustentável, na sede da ONU. Mas isso é tão pouco! Para o diretor da Campanhas do Greenpeace Brasil, Marcelo Furtando, o documento aprovado ontem " joga fora as metas que estavam presentes em documentos anteriores, que já eram poucas. Estamos saindo da Rio+20 numa situação ainda pior do que aquela em que entramo

I Seminário de Marketing Eleitoral de Guerrilha

É com o Chico Cavalcante. Imperdível! Recomendo!

Salve salve Horacio Coppola

Conheci Buenos Aires, pela segunda vez, por sua intermediação. A primeira vez é Borges - e ninguém tasca. A terceira é, também, literária: Manuel Mujica Láinez , um genial escritor argentino, autor de fabulosas Crônicas de Buenos Aires tão fascinantes quanto o seu Bomarzo. Mas a segunda vez, é de Horácio Coppola, um dos maiores fotógragos da história: Ele morreu hoje, aos 105 anos de idade. Foi o grande cronista de Buenos Aires, num tempo - os anos 1930 - em que era impossível pensar naquelas cidade como obra de arte: Coppola radiografou uma modernidade intensa. Periférica, mas intensa: Contaba su vida así: "Nací el 31 de julio de 1906, en el dormitorio de mis padres, en el 2º piso de la casa construida en 1901, proyectada y dirigida por mi padre: Corrientes, 3060. Comencé mi vida como décimo miembro en el seno de una familia de adultos. Me ofrecieron una plural iniciación y paralelamente aprendí a caminar y a hablar, a escuchar música, a cultivar plantas y a c

Back to blog

Após uma semana fora i'm back to black, to dear dirty dublin (no dia 16 de junho fiz a lição de casa e perambulei, como Leopold Bloom, por onde podia) que pudera ser, como diz o Flávio Nassar, a bela bosta belém de todos nós. Estive na Compós, o eventum maximum   dos pesquisadores da comunicação (olha eu lá, ao lado do Micael Herschmann, Suzana Kilpp, Irene Machado, Alice Durtz, Cristiane Freitas Gutfriend e Lidiane Pinheiro) e revi velhos amigos - a Cristiane e a Cintia Sanmartin Fernandes, do Ceaq , em Paris - o Denilson Lopes, da UnB, e vários outros, das aventuras da comunicação afora. Depois fui pro Rio, coisa de ignorar a Rio +20 e prestigiar a Cúpula do Povos e, dentre dela, o II Mídia Lívre Mundial. Como sempre, no Rio, morro pela boca e esgoto meu orçamento comprando livros. Mais uma vez pude comprovar que a melhor livraria do Brasil continua sendo a Leonardo da Vinci , e que essas coisas de Fnac (só na França presta) e Cultura é coisa de margem, de intelectualidade

Começa hoje o Encontro Paraense de Etnocenologia

Dias de folga para o blog.

Dias de folga para o blog. Viajo amanhã para Juiz de Fora, onde participo da Compos , apresentando um trabalho, no GT Comunicação e Cultura, intitulado "As Guitarradas Paraenses: um olhar sobre música, musicalidade e experiência cultural". Em seguida, alguns dias no Rio, para acompanhar, na Escola de Comunicação da UFRJ, o II Fórum Mundial de Mídia Livre . Até a volta.

A nova exposição de Lúcia Gomes, com direito a colóquio

Fenomenologia dos seios

A não crença nos deuses impede, certamente, o vocabulário dos milagres. O agnosticismo tem o efeito de empobrecer as línguas e o ateísmo tem o efeito de calá-las. Assim, portanto, ficamos sem alguns noemas (isto é Husserl, é fenomenologia) quando diante de uma situação como a de que se venham a romper os fios já sugestivos de um decote e nos vejamos, agnósticos como pobremente somos, diante de uma visão inesperada, repentina e abusivamente sagrada. Como, então,  em bom rigor, chamar a isto?  Epifania erótica?;  Hierofania erótica?;  Teofania erótica?